Arte como protesto / by thais russo

A indústria de construção italiana perdeu quase 900.000 empregos nos últimos 5 anos. Revoltados com a situação, representantes dessa classe trabalhadora organizaram mês passado o “Dia da Raiva”, com um protesto em frente à bolsa de Milão. Com esse nome, nos colocamos a visualizar a passeata, homens bravos destruindo a cidade e outros eventos característicos de um embate trabalhista dessas proporções. Mas estamos enganados. O protesto foi na verdade uma instalação linda feita com 10.000 capacetes amarelos de construção, simbolizando os empregos perdidos em 2012.

 Aqui em São Paulo o movimento #ExisteAmorSP se inspirou num memorial americano contra a guerra do Vietnã e organizou o “Memorial dos Sapatos” para lembrar as vítimas da violência na cidade no dia do seu aniversario. Duzentos pares de sapatos enfileirados chamaram a atenção dos que passavam pelo Anhangabaú, sensibilizando para o diálogo de um tema tão importante e desolador. Alguns pararam para ler e entender, outros queriam comprar ou pegar os sapatos usados e muitos tiraram seus sapatos para deixa-los ali, enfileirados com os outros.