O Tapete que voa e vira praça / by thais russo

O artista Eddy Kaiser se juntou a um grupo de colegas e inventaram o Flying Grass Carpet (O Tapete-Grama Voador). Feito de grama sintética de várias cores, o tapete voa de cidade em cidade, criando espaços públicos instantâneos e adaptáveis a qualquer situação. Variando de 18x22 metros a 32x58 metros, usa os padrões geométricos dos tapetes persas e tem sido um  verdadeiro evento por onde passa.

 Uma vez instalado, o tapete transforma radicalmente o espaço onde está e as pessoas se apropriam para congregar, brincar, descansar. Lidando com a surpresa e a flexibilidade que só as cidades podem ter, o tapete convida ao inusitado e a resposta foi surpreendente em todas as cidades por onde passou. Paisagem artificial, ou jardim manufaturado, o tapete traz qualidade aos espaços públicos negligenciados ou já não notados.

Para termos um tapete desses aqui, escrevam para info@flyingcarpet.org; eu já escrevi!

 A simples colocação de um tapete na rua é um ato muito forte, nao precisa ser um “tapete voador”. No Centro Cultural do banco do Brasil, por exemplo, é comum que coloquem tapetes no calçadão nos finais de semana, demarcando assim áreas de brincadeira e uso. Num desse fins de semana passei por lá e as crianças estavam brincando na rua enquanto duas mulheres plantavam mudas de arvores.

Em Barcelona, a marca de tapetes Nani Marquina celebrou seus 25 anos espalhando tapetes coloridos em uma praça, onde as pessoas, entre espantadas e divertidas, se apropriaram para deitar, sentar, e conversar.