Prédios de lixo / by clarissa morgenroth

A indústria da construçāo é uma das atividades mais poluidoras no mundo. Tentando reverter esse estigma, alguns arquitetos e empreendedores têm construido com o subproduto das nossas atividades do dia-a-dia: o lixo. Nas montanhas da Colômbia, longe de grandes centros urbanos, uma comunidade construiu uma escola de 15m2 com paredes feitas por 2.400 garrafas plásticas armadas numa estrutura de madeira e cobertas por cimento. É uma técnica que vem se difundindo por lá por ser resistente aos terremotos, apresentar excelente proteção térmica e acústica e custar barato (uma construção desse tamanho custa em média R$1.500, já com piso e telhado).

 Esse tipo de experiência já se espalha por todo o mundo, cheque alguns exemplos: na Alemanha o escritório de arquitetura Datz e Datz construiu uma agência de propaganda com fardos de papel reciclado e estudantes da Universidade de Auburn fizeram uma casa com sobras de carpete. Na Argentina uma família construiu sua casa de campo, e os móveis dentro dela, com garrafas PET e a batizou de “Casa das Garrafas”, enquanto em Sidney, na Austrália, você pode se hospedar num charmoso hostel feito de lata!